Carlos Alberto Sequeira

Na encruzilhada dos desafios sociais, políticos, económicos e éticos que este século XXI tem vindo a impor a uma Europa diferente, Portugal, pela sua história, pelas suas gentes, pelos valores humanistas e culturais que cultiva, pode ser fundamental no concerto das nações. Reconheço que, para além dos poderes constitucionais próprios, o Presidente da República deve unir e não separar, liderar estímulos aglutinadores, ser fator de esperança e de vontades na construção de um país inclusivo e sustentável, aberto para o mundo com princípios e valores humanistas. Apoio, assim, Sampaio da Nóvoa, homem de carácter, íntegro, que preza a democracia e com um percurso de tenacidade e competência, convicto de que a sua Presidência abrirá um novo ciclo de desenvolvimento para Portugal.