Franco Charais

Dentro de algumas semanas iremos eleger um novo Presidente da Republica. Nós, democratas, gostaríamos que ele fosse eleito num universo de votação maciça de eleitores. O anterior foi eleito por cerca de 25% do total do eleitorado o que lhe retirou autoridade para representar todos os portugueses. Seria saudável para a democracia que os novos tempos voltassem a trazer às urnas a esmagadora maioria dos votantes. Perante os candidatos que se apresentam para o exercício do cargo da presidência temos obrigação de procurar conhecer os seus perfis e intenções que os motivam. Zangado com o mal que os partidos do arco do poder fizeram ao meu país que traduz em cerca de 2 milhões de portugueses atirados para o limiar da pobreza, na indignidade de um cidadão não ter acesso a um posto de trabalho, na exportação forçada da nossa mão-de-obra mais classificada, na corrupção gerada por uma promiscuidade inaceitável entre os poderes económicos e políticos, levaram a excluir da minha intenção de voto os candidatos ligados ao felizmente estilhaçado arco da governação. Porque uma nova política que corrija este verdadeiro atentado ao interesse nacional exige a eleição de um novo e descomprometido Presidente da Republica. Afastados da minha intenção de voto Marcelo Rebelo de Sousa por ser o candidato mais intimamente ligado às políticas anteriores, Maria de Belém surgida de uma reacção à ruptura criada no PS pelo seu afastamento do velho arco da governação, Henrique Neto um candidato que estimo mas oriundo do universo dos partidos que governaram o país nas últimas 4 décadas, Paulo de Morais por pensar que na sua importante luta que desenvolve contra a corrupção terá mais liberdade do que espartilhado nos deveres dum Presidente, Marisa Matias e Edgar Silva mais úteis numa missão de fixação de votos partidários, surge-me Sampaio da Nóvoa como o candidato com melhores condições para potenciar os novos tempos ansiados pela grande maioria dos portugueses e encetados pela actual coligação que governa o país. E assim decidi votar em Sampaio da Nóvoa e dar-lhe todo o meu apoio possível.