Biografia

António Sampaio da Nóvoa, 60 anos.

Professor e Candidato a Presidente da República

Acredita que a Educação é o motor da liberdade. Tem uma vida feita de presenças, desde as associações estudantis à intervenção comunitária cidadã e à gestão pública. É hoje candidato a Presidente da República porque o amanhã tem de começar agora.

António Manuel Seixas Sampaio da Nóvoa nasceu em Valença, a 12 de Dezembro de 1954. Filho do juiz Alberto Sampaio da Nóvoa e de Saladina do Faro Fernandes Seixas Sampaio da Nóvoa, é o segundo de cinco irmãos, numa família minhota grande que ainda se reúne nas festas religiosas e nas férias, em Cabeçudos, na Casa de Boamense.

*

António Sampaio da Nóvoa fez a instrução primária na Escola Pública de Caminha, tendo terminado a quarta classe já em Nova Oeiras, onde a família se instalou no início de 1964, até hoje.

Passou a infância e a juventude com uma bola nos pés. Com os irmãos, os primos, os amigos, joga futebol, lê livros e demonstra uma habilidade particular para os números. É convidado por um olheiro da Académica a fazer testes para a equipa de futebol e chega à Universidade de Coimbra em 1971, com 16 anos, um ordenado de Juvenil e uma matrícula em Matemática.

Em Coimbra, vive na República 5 de Outubro, uma residência mista e fortemente politizada. Poucas semanas depois de chegar, António Sampaio da Nóvoa já é delegado da associação de estudantes e partilha o tempo entre o futebol da Académica e os palcos do Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra (TEUC).

No teatro e nos cafés de Coimbra, António Sampaio da Nóvoa ensaia a intervenção. As leituras, as tertúlias, um debate constante pelo futuro de Portugal. É então que, apesar do convite para passar à equipa de futebol Sénior, deixa os relvados de Coimbra trocando-os pela Escola de Teatro do Conservatório Nacional e regressa a Lisboa, com uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian.

De 1973 a 1976, os palcos estão em Lisboa, no Conservatório, nos grupos de discussão, nas madrugadas. António Sampaio da Nóvoa viveu o 25 de Abril na rua. Tinha 19 anos e havia um país novo para construir. Nas eleições autárquicas de 1976, Sampaio da Nóvoa dinamiza uma das primeiras listas de cidadãos independentes.

A animação cultural e a participação cidadã são uma escolha e é através da expressão dramática que chega à formação de professores. De 1977 a 1979, Sampaio da Nóvoa dá aulas no Magistério Primário de Aveiro e reconhece a importância do futuro na escola e nos professores.

Com 25 anos, parte num Fiat 127 com destino à Europa. Tem alguns contactos em Bruxelas, mas acaba por ficar na Suíça. Depois de diplomado em Ciências da Educação pela Universidade de Genebra, é convidado para prosseguir estudos de doutoramento, ao mesmo tempo que dá aulas. Defenderá a sua tese em 1986, sobre a história dos professores em Portugal.

O filho André nasce em 1985. Sampaio da Nóvoa volta para Lisboa e é professor convidado do Instituto Superior de Educação Física. No ano seguinte, poucos meses depois do doutoramento é convidado para a Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação. Em 1994, faz as provas públicas de agregação na Universidade de Lisboa. É Professor Catedrático desde 1996.

Na Universidade de Lisboa constrói a sua carreira académica, reconhecida por colegas e alunos. É um professor disponível, presente, um ouvidor. Um amante de livros e bibliotecas, e também de pessoas e de vidas.
Sampaio da Nóvoa passou períodos em várias universidades estrangeiras de grande prestígio.

Em 2006, completa um segundo doutoramento, na Universidade de Paris IV- Sorbonne, em História Moderna e Contemporânea.

Entre 1996 e 1999, foi consultor para a Educação do Presidente da República Jorge Sampaio. Esteve presente em múltiplos comités e instituições, nacionais e internacionais.

Em 2002, estava em Nova Iorque como professor, e é convidado por José Barata-Moura para Vice-Reitor. Sampaio da Nóvoa reconhece na gestão da universidade, do conhecimento e da ciência um desafio claro de mudança.

É eleito Reitor em 2006 e com António Cruz Serra, lidera o processo de fusão da Universidade de Lisboa e da Universidade Técnica de Lisboa, abrindo a universidade à cidade e ao país.

No último ano esteve no Brasil, numa missão internacional da UNESCO junto do governo brasileiro e como professor visitante na Universidade de Brasília.

António Sampaio da Nóvoa acredita que a Educação é o motor da liberdade. Tem uma vida feita de presenças, desde as associações estudantis à intervenção comunitária cidadã e à gestão da causa pública. É hoje candidato a Presidente da República porque o amanhã tem de começar agora.